Criança com o dedo torto apontando para o chocolate

Melodrama – Criança com o dedo torto apontando para o chocolate

( zelador )


Uma discussão foi aberta sobre esse tópico, clique e participe - (5) Mensagens

O Melodrama é um grupo de pessoas que às vezes se reúne e faz algo no campo da ficção e, geralmente, na forma escrita. Fazia um bom tempo que isso não acontecia, mas agora a gente se agitou e pariu algo. Talvez não na melhor forma, nem do melhor jeito, mas foi divertido para os envolvidos e espero eu que seja divertido para os leitores,

O desejo é que seja uma brincadeira de gente grande, que curte escrever e que não tem medo de se expor. Novas edições virão, temas diferentes, jeitos diferentes de se fazer o melodrama serão inventados e a gente vai mudar, desde que continue se divertindo no processo!

Pois então, nessa edição tivemos um tema gerador, “Uma criança com o dedo torto apontando para o chocolate”, e o resultado está ái embaixo! Sinta-se à vontade para comentar no fórum em anexo sobre suas impressões e deleite-se das obras de nossos autores!

Criança com o dedo torto apontando para o chocolate
Edições

Comentários (0)

Permalink

Insônia

( Alcyr Spíndola )


Começou tranqüilamente, de forma banal e inocente. O resumo da agência de publicidade descrevia uma cena clichê a ser fotografada para a campanha de lançamento da nova marca de chocolate.

Antes do início da sessão de fotos, ele é apresentado ao menino escolhido pela produtora. É fofinho, 2 aninhos de idade, levemente gordinho (o que transmite a imagem de bem-cuidado e simpático necessário para acalmar preocupações maternais das consumidoras). O melhor de tudo era o dedo, tortinho na medida certa, que atraia o olhar de todos, uma levíssima falha que servia para destacar a perfeição dos olhos e do rosto inteiro e que atraia a todos ainda mais.
mais… »

Criança com o dedo torto apontando para o chocolate
Prosada

Comentários (0)

Permalink

Pedrinho

( Julia )


Quem sabe sábado me pula um sapo no colo e eu o coloco dentro da minha caixa de brinquedos, pensou ele. Sem saber que nenhum sapo lhe prestaria o favor de refugiar-se numa caixa de sapatos – sem brinquedo algum para fazer-lhe companhia – dormiu Pedrinho pensando em como faria para capturar os répteis que religiosamente apareciam no quintal.
mais… »

Criança com o dedo torto apontando para o chocolate
Prosada

Comentários (0)

Permalink

Extremamente

( Amanda Onishi )


[Insira aqui um nome] era uma menina muito pobre. Pobre e azarada, extremamente azarada. Para começar era uma menina em pleno século [insira aqui um século de extrema repressão quando falamos de mulheres]. Pior que isso? Carregava consigo uma doença extremamente devastadora a [insira aqui uma doença extremamente terrível]. Mas seu maior sonho era extremamente simples: Comer um pedaço de bolo de chocolate da padaria da Rua [insira aqui algum nome de rua], um pedaço extremamente suculento e extremamente delicioso. E todos os dias ela ia até a padaria [insira aqui um nome de padaria], com uma perna paralisada, o olho enfaixado e quase sem voz rastejava extremamente cansada até a vitrine da loja, e lá observava todos os bolos de marcas e formas possíveis. E sozinha a menina pensava consigo “Ah quem dera eu pudesse provar um pedaço extremamente pequeno do maravilhoso bolo de chocolate da padaria”, mas havia dinheiro? O pai era alcoólatra, a mãe fugira anos atrás, uma menina pobre, coitada, surrada, torta e feia como o demônio.
mais… »

Criança com o dedo torto apontando para o chocolate
Prosada

Comentários (0)

Permalink

Fura-bolo

( rucasouza )


Um tico-tico no meu fubá
Mulher mais louca de um Brasil
“Meteste do dedo na cobertura?
Ah, vai pra puta que te pariu!”
mais… »

Criança com o dedo torto apontando para o chocolate
Nonsense

Comentários (1)

Permalink

Ela veio pela janela do banheiro

( Thalita Coelho )


Uma mulher de cabelos louros quase brancos lavava a louça com entusiasmo assustador, assustador sim, afinal quem diabos limpa a casa com alegria de festa? Resposta: Maníacos por limpeza.

Exatamente isso era a Dona Mary, que há pouco chamávamos de “mulher de cabelos louros quase brancos”, totalmente, completamente, altamente maníaca por limpeza. Era mais prazeroso limpar uma mancha de molho de tomate de uma camisa branca, do que fazer sexo com o marido peludo e parrudo. A quarentona chegava a limpar  farelos de pão que estavam sobre a mesa enquanto os filhos ainda estavam comendo. Lavar a louça era a atividade mais excitante pra D. Mary, ou quem sabe, fosse limpar o banheiro: o cheiro de água sanitária, e o mantra de lavar os azulejos com uma escovinha fina e delicada, deixavam D. Mary arrepiada. (E a intenção não era rimar).
mais… »

Arte
Criança com o dedo torto apontando para o chocolate
Prosada

Comentários (0)

Permalink

Efêmero

( ferioxp )


___Efêmero tem gosto amargo.

As luzes piscantes de uma danceteria qualquer, encobriam o rosto moreno da menininha Darlene, aparentemente transformada em mulher  por toda aquela maquiagem. Ela não tinha uma mãezinha doente, nem a conta de algum vigarista para pagar. Ela era puta porquê gostava de gastar. Porquê gostava de sair. Porquê gostava de causar. Naquela noite, o cara que queria comêla vinha com um palavriado difícil e pseudo-cult pra cima dela. Ela adorava.
mais… »

Criança com o dedo torto apontando para o chocolate
Prosada

Comentários (0)

Permalink

inspirado em chocolates reais

( Leandro De Maman )


– Quero um chocolate, você tem aí?
– Chocolate? – Perguntou a mulher, de saia e lenço na cabeça, enquanto mechia no freezer cheio de carnes, presuntos, margarinas e queijos. – Que Chocolate?
mais… »

Arte
Criança com o dedo torto apontando para o chocolate
Prosada

Comentários (0)

Permalink

O menino com o dedo torto apontando para o chocolate

( Agente do Caos )


Cuidado com o que se deseja, já falava alguém. Eu queria ser agente de campo, esse negócio de perito de computadores enfunado numa sala estava me dando nos nervos. Resolvi arriscar-me mas a vida bate nos incautos.

Atravessei a rua sem delongas e aguardei na calçada até Jóia me alcançar. Entrei no restaurante e escolhi uma mesa aconchegante e discreta no canto. Um casal ligeiramente tímido, tomando um suquinho de manga num dia ensolarado e frio de inverno. Prosaico. Ilusório.

O restaurante era todo envidraçado, a claridade intensa penetrava e ofuscava. A imagem surreal de uma tarde brilhante, impregnava nossas mentes, enquanto o relógio tiquetaqueava e o mistério persistia. Jorge morreu sem passar adiante o material, mas deixou uma pista. Minto, ele disse algo, imaginávamos que era uma pista.

“O menino com o dedo torto apontando para o chocolate”


mais… »

Arte
Criança com o dedo torto apontando para o chocolate
Prosada

Comentários (0)

Permalink